10 Mitos dos filmes pornô que não rolam na vida real

Você não deveria acreditar em tudo que vê nos filmes pornôs.

Embora vivamos em uma sociedade que consome pornografia diariamente, ainda existem alguns perigos, como alguns mitos em filmes pornográficos que podem colocar em risco a vida sexual.

Surpreso, não! O site El País discutiu com sexólogos como a pornografia prejudica o comportamento sexual com mitos que muitos acreditam serem absolutamente certos.

A propósito, hoje as pessoas sucumbem a informações simples como o YouTube porque acreditam em explicações simples sobre a natureza humana. Os filmes pornôs não são diferentes: apesar nutrir seus desejos, eles criam histórias, ou seja, conteúdos fictícios.

Mitos dos filmes pornô

1. O orgasmo chega sempre

O roteiro de um filme pornográfico é o mesmo de qualquer outro filme. Embora o final nunca seja surpreendente. O protagonista sempre alcançará o orgasmo. Eles não têm uma vida ruim, não se sentem desfocados e não começarão a sentir desconforto onde iriam preferir deixar pra outro dia. O clímax é sempre a meta, não importa o que aconteça, o orgasmo sempre virá. Certas coisas não acontecem durante o sexo. “Nem todas as relações sexuais contêm ou encerram com os orgasmos, mas todas são prazerosas”, insiste Lola González, sexóloga do Borobil Center. Segundo os especialistas, não tudo como um filme, você esquece que nossos corpos nem sempre estão no melhor momento para o orgasmo, mas eles também ignoram que às vezes o motivo do sexo não é apenas chegar ao orgasmo. “Às vezes, você pode buscar o prazer na forma de um orgasmo; entre outras, por exemplo, você pode querer estar mais perto de outras pessoas para sentir a segurança ou proteção de seu parceiro.”

2. Sexo casual é a maior facilidade

Outro mito dos filmes pornô é o sexo casual. Por exemplo, o limpador de piscina, encanador ou entregador de pizza sempre se dão bem e fazem sexo com donas de casa. Isso pode ser visto em todos os lugares, o sexo casual ocorre em lugares maravilhosos.

“Na pornografia, tudo parece muito simples e fácil. Na verdade, podemos sair durante a noite e desfrutar de sexo casual, sim, mas com algum cuidado”, refletiu a sexóloga Irene Wilder Valverde. Principalmente, segundo ela, quando o sexo envolve estranhos ou fantasias eróticas. O mesmo acontece com fantasias como sexo a três ou orgias, que parecem estar na ordem do dia.

3. Sempre Pronto

Na pornografia, qualquer hora é a hora do sexo. “É comum os homens se prepararem mais rápido do que as mulheres, embora também possam sentir ansiedade e em alguns casos demorar mais para ter uma ereção. Porém, eles sempre precisam ser estimulados antes, então, Preliminares é o básico”, disse Carla. Cecarello. Para Rodrigues Jr., diretor do Inpasex, os protagonistas dos filmes também tem dificuldades sexuais. Ele disse: “No início dos anos 1990, um filme foi exibido na locadora, mostrando os bastidores das filmagens, incluindo a cena da ereção de um famoso ator.” Segundo ele, desde o início da década de 1990, fossem usadas substâncias orais ou injetáveis ​​para facilitar a ereção. No caso das mulheres, é frequente o uso de lubrificantes ou vibradores para dilatar as aberturas vaginais ou anais.

Não se trata apenas das mal chamadas preliminares, mas da sedução prévia, dos gestos que mostram o desejo do outro e, obviamente, da estimulação de mais partes do corpo antes de passar aos genitais. Mesmo estando excitada, às vezes é possível estar lubrificada rapidamente, e outras vezes nosso corpo precisa de um pouco mais de ajuda. “Embora a lubrificação e a excitação costumem aparecer juntas, isso não significa que sejam inseparáveis. São fenômenos independentes. Você pode estar excitada, mas não lubrificada, e pode estar lubrificada, mas não sentir excitação”, diz a também sexóloga Estela Buendía

4. Ninguém se cansa

Um dos outros mitos dos filmes pornográficos é que as pessoas aguentam horas repetidas de sexo. Porém, a vida real mostra que muitas pessoas estão satisfeitas com a famosa rapidinha. Às vezes, passamos algum tempo com nossos parceiros e nos sentimos felizes juntos.

“Enquanto na vida real, em uma virada de posição a ereção pode diminuir um pouco, nos filmes, tudo é perfeito”

Mesmo estando com o físico de atleta – não há como um ser humano ficar duas hora direto “descendo a lenha” na mulherada como os filmes fazem parecer e tudo não passa de edição de imagens gravadas em horas ou até mesmo dias. Se você quiser ter uma vida sexual bem mais feliz, pare de acreditar nessas bobagens e pratique mais.

5. O normal é ter um pênis gigante pra dar prazer

O que costuma ser usado repetidamente em filmes é que quanto maior o pênis, mais prazer a mulher tem. Embora na vida real, esse mito erótico nem sempre se aplique.

Lola González diz: “Quanto maior o tamanho e / ou profundidade da penetração, às vezes você sentirá desconforto ou dor.”

Os sexóloga aponta: “A vagina só é sensível no primeiro terço, então não importa a profundidade da penetração ou se o pênis é grande ou pequeno. Na verdade, quando o pênis é grande, as mulheres podem ser “socadas” e senti na pelve, mas isso não significa que seja satisfatória.

6. Mão Pesada

Ser acariciado ou acariciada por um parceiro é um dos maiores prazeres do sexo. Pode ser uma forma maravilhosa de preliminar, mas certamente não é a maneira mostrada em filmes. Onde, homens e mulheres que obviamente sem terminações nervosas se masturbam rudemente um ao outro, o que está longe de ser ideal em um relacionamento real. Principalmente a genitália feminina que precisa ser tratada com muito cuidado, caso contrário corre o risco de machucá-la.

A pornografia há muito defende a fusão do sexo com a violência, especialmente entre homens e mulheres. Tanto que os jovens parecem acreditar que isto é “normal”, como nos lembram algumas cenas da série juvenil “Euphoria”. Não, isso não é normal de forma alguma. “Em nosso imaginário de fantasia, pensemos ser agradável essa violência sexual, como ser puxada pelos cabelos ou jogada na cama. Agora, fazer é outra história”, reflete Irene Valverde. Em outras palavras, uma coisa é fantasia, outra é a realidade. Em qualquer caso, qualquer investida sexual deve ser discutida e alcançado um consenso. Buscando que o momento seja muito bom para ambas as partes. “Se pararmos de pensar, é completamente lógico que não façamos algo com os outros sem seu consentimento, e no sexo também.” Em qualquer caso, nada começa sem aviso prévio.

7. Elas não gemem, gritam

Ao assistir filmes pornô, tendo mais gente em casa, é bom estar preparado para abaixar o volume a qualquer momento, caso contrário corre-se o risco de ser pego. O motivo é que as atrizes exageraram no escândalo. Quem já fez sexo sabe que não é bem assim que a coisa acontece, o que nos decepciona. Não importa o tamanho do pênis ou quão bom seja o sexo, nunca seremos capazes de arrancar aqueles gritos.

Tanto que há mulheres que são incapazes de se identificar com ele. Porque existem orgasmos que são como um tsunami, sim, mas outros são mais suaves ou simplesmente existem pessoas que não são tão expressivas na hora de mostrar seu clímax. A única maneira segura de saber como está sendo é perguntar”. Nisso os diálogos do filme pornô, simples, mas concisos, podem ajudar.

8. Sexo anal liberado

Na pornografia, o sexo anal é a coisa mais fácil e rápida do mundo. Para Ana Canosa, essa é uma grande decepção dos filmes. Ela disse: “A mulher usa plug anal antes das filmagens, mas tudo ocorre como se ela não estivesse preparada, como se ela estivesse pronta e o ânus tivesse alargado.” Segundo Rodrigues Jr., antes de filmar a cena, as mulheres ainda precisam usar vibradores por muito tempo e litros de lubrificantes para se preparar. Ele disse: “A fantasia masculina conduz essas cenas nos vídeos, incluindo a percepção de que sempre será fácil.”

9. Elas adoram se tocar

Seja durante o sexo, na masturbação ou no banho, as atrizes tendem a tocar seus seios – e parecem estar muito felizes com isso. Ana Canosa disse: “Elas parecem estar super excitadas, e todo mundo é fácil de jogar.” Desculpe informar, mas isso não acontece na vida real. “É difícil para as mulheres fazerem isso. Na verdade, poucas pessoas podem pedir para tocar na área”, disse Carla Cecarello. Para Rodrigues Jr., o modelo estético dos filmes pornográficos é repetitivo: para as mulheres, o toque dos seios, nádegas e abdômen inferior, para os homens, o toque do pênis. Ele disse: “Essa ideia é sempre do ponto de vista masculino, usando posturas e comportamentos considerados eróticos apenas para agradar os homens.”

10. Nojinho? Esqueça!

Aposto que você nunca viu uma pornografia em que a mulher franzisse a testa ou se recusasse a fazer alguma coisa. Ao contrário, quando os parceiros ejaculam, eles sempre parecem estar felizes. Amigos, caiam nessa Algumas mulheres podem até gostar dessa abordagem e aceitar os pedidos de seus parceiros, mas, em geral, poucas pessoas ficam confortáveis com essa ideia.

“A realidade é bem diferente. Muita mulher acha nojento. Aquilo tudo foi feito para ser um estímulo a mais, mas não se copiar” E é preciso tomar muito cuidado com a ejaculação pois pode transmitir diversas doenças.